Os recentes episódios de violações de dados divulgados na mídia são um lembrete de que muitos dados corporativos continuam desprotegidos nas empresas. As invasões se tornaram um fato recorrente e as ações das empresas para solucionar o problema têm se mostrado insuficientes.

A recente violação na Anthem Inc., a segunda maior empresa de convênios de saúde dos Estados Unidos, expôs uma série de dados sensíveis de dez milhões de associados. Menos de dez dias depois, o Kaspersky Lab’s anunciou que hackers russos roubaram, no mínimo, US$ 1 bilhão de bancos globais.

A análise de dados de rede para cyber segurança tem o potencial de mitigar as violações e limitar a quantidade de dados sensíveis que podem parar nas mãos dos hackers. Para promover a segurança da informação em organizações é necessário realizar investimentos que estejam de acordo com o tamanho da empresa.

É impossível manter todos os hackers fora de uma rede, mas, mesmo quando eles conseguem invadir um sistema, existem várias maneiras de ficar de olho. Nesse ponto entram as ferramentas de análise de dados da rede. Por meio de um monitoramento e da análise de dados da rede, as organizações podem identificar atividades suspeitas e impedir que invasores implantem malwares ou qualquer código malicioso que possa ser usado em uma invasão.

Análise de dados da rede ainda não é prioridade para as empresas

Manter uma rede segura com análise de dados da rede é relativamente simples. No entanto, poucas empresas têm demonstrado interesse. Segundo o Forrester Research, porém, isso pode estar mudando. O instituto prevê que os orçamentos para segurança da informação vão crescer ao longo de 2015 e a análise de dados da rede será avaliada como prioritária. Ainda assim, as empresas precisam se apressar.

A questão é vista como algo não essencial. O objetivo dos cientistas de dados e das empresas atualmente é o lucro, mesmo às custas de outros aspectos importantes, como a segurança da informação.

Parte do problema é que é difícil provar para diretores e CEOs de empresas o retorno financeiro das ferramentas de análise de segurança. É impossível estimar quanto dinheiro hackers poderiam ter roubado caso não tivessem agido.

O Forrester estima que, em 2012, violações custaram US$ 11,27 bilhões à economia global, sendo que o número deve crescer nos próximos anos. O valor ainda não inclui a perda em reputação para as empresas que tiveram a confiança de seus clientes abalada.

De uma perspectiva técnica, a análise de cyber segurança é desafiadora, mas pode salvar bilhões e é o melhor a se fazer pelo consumidor. Não há desculpas para não investir.