Recentemente, durante um evento, o vice-presidente do Gartner, Daryl Plummer, pintou um cenário cheio de robôs, máquinas inteligentes e novos hábitos mobile para os próximos cinco anos. Confira as tendências de TI para que os CIOs e profissionais da área precisam estar preparados.

Internet das Coisas vai dar trabalho

Em 2018, cerca de 6 bilhões de “coisas” conectadas vão exigir suporte. Esses dispositivos desempenham tarefas cada vez mais complicadas e CIOs e times de TI terão de tratá-los como seus clientes. Uma indústria focada em atender “coisas” deve surgir.

Softwares autônomos fora do controle humano

Em 2020, softwares autônomos vão participar de 5% de todas as transações econômicas. As máquinas inteligentes tomarão decisões tão rapidamente que não seremos capazes de acompanhar e checar o que é decidido, apenas aceitar, esperar que estejam fazendo um bom trabalho e responder caso algo dê errado.

Chefes robôs

Em 2018, mais de 3 milhões de profissionais terão chefes robôs. Ordens automatizadas e controle de tráfego logo serão uma realidade em transportes. Outra possibilidade é o uso de inteligência artificial (IA) para entender emoções e gerenciar humanos.

Vandalismo digital

Sistemas conectados oferecem mais oportunidades de ataque. No fim de 2018, 20% dos prédios inteligentes vão sofrer vandalismo digital. Logo empresas terão de pensar em como proteger a infraestrutura de TI dos perigos que podem chegar por um apontador de lápis inteligente, por exemplo.

Empresas terão menos empregados e mais máquinas inteligentes

Em 2018, metade das empresas que mais crescem terá menos empregados e mais máquinas inteligentes. Isso não significa que haverá demissões, mas que o número de máquinas dando suporte aos funcionários vai aumentar.

Reconhecimento de face e voz

No fim de 2018, assistentes digitais vão reconhecer pessoas por rosto ou voz em diversos canais. Atualmente, o Windows 10 já permite usar o rosto como senha, por que não poderíamos aplicar essa mesma tecnologia a outros dispositivos, desde computadores pessoais até máquinas de uso corporativo?

Falhas de segurança na nuvem

Em 2020, 95% das falhas de segurança na nuvem serão causadas pelo cliente. Por mais que seja segura, as pessoas ainda são o elo fraco na infraestrutura de segurança. Por isso, soluções para proteger o Active Directory e a nuvem, bem como políticas de segurança claras, continuarão sendo essenciais, independente da proteção oferecida pelo provedor da nuvem.

Os principais riscos, como vazamento de dados, perda de dados, compartilhamento indevido de senhas ou até a falta de recursos de segurança para gerir informações na nuvem, já existem e as empresas podem recorrer a várias soluções efetivas para segurança na nuvem para manter seus ativos protegidos.

O Cloud Security da PROOF oferece às empresas estratégias que asseguram a segurança dos dados contra os principais riscos da nuvem e pode ser integrado a outros serviços de segurança da informação do PROOF, como o MSS PROOF e o B-SOC.

Com Information Week