O big data é cada vez mais usado pelas empresas para criarem ações personalizadas e melhorar a experiência do cliente ou para que líderes possam tomar decisões fundamentadas. A análise preditiva pode levar isso bem além.

Em vez de só observar dados, a análise preditiva faz uma previsão com base nas informações apresentadas, um grande passo para qualquer empresa. Veja como a análise preditiva pode afetar o big data no futuro:

Uso de análise preditiva

A análise preditiva pode ser usada, por exemplo, antes do lançamento de um produto. Com a tecnologia, uma empresa pode prever com maior precisão o sucesso ou fracasso de um produto. Prever eventos que aconteceriam depois de muito tempo é um grande passo para as empresas. Considere, por exemplo, uma empresa de cursos online que quisesse lançar um novo produto: como já sabe quantas pessoas comprariam, poderiam planejar o lançamento com base em um número de possíveis novos usuários.

Big data tem limites

Hoje as empresas têm mais acesso a dados como nunca antes. Uma empresa de varejo pode coletar milhões ou até bilhões de dados de clientes. Se olhar para os dados de apenas um cliente, provavelmente não verá nada, mas se observar uma grande quantidade de dados poderá determinar algumas tendências.

Limites do big data e da análise preditiva

Embora seja ótimo identificar tendências, o big data tem alguns limites. Apesar de fornecerem base para que líderes possam tomar decisões melhores, a análise preditiva é capaz de elevar o big data, permitindo que os dados possam, de fato, projetar o que vai acontecer.

Os resultados, porém, não são de “inteligência artificial”. Isso significa que, se os dados falhos são considerados pelo sistema, uma decisão falha será tomada. Por isso, é essencial que as empresas se certifiquem da precisão dos dados para garantir os melhores resultados.

Com Smart Data Collective