Tecnologias como a Internet das Coisas geraram uma avalanche de dados, mas será que essas informações podem ser usadas para identificar tendências de mercado que antes eram imprevisíveis? As novas tecnologias de big data e analytics permitiram aos humanos ter insights de praticamente tudo, desde a maneira como o consumidor passa seu tempo nas redes sociais, até os motivos que o levam a fazer uma compra.

Essas informações estão se tornando parte importante das operações de mercado. Com isso, surge a questão: o que o big data consegue ver? Suas ferramentas podem ser mais eficientes em prever tendências de mercado do que os humanos?

Algoritmos invadiram os mercados globais

Algoritmos complexos são capazes de dar aos negócios uma ideia do momento de comprar e vender, dando às empresas sugestões calculadas de quando o mercado estará em alta ou em baixa. Assim, os analistas de dados conseguem calcular recomendações.

É claro que os algoritmos nunca são perfeitos, mas os dados estão ficando cada vez mais precisos com o passar do tempo. Seja por conta da quantidade cada vez maior ou pelas maneiras ainda inexploradas de usá-los.

O Google Trends, por exemplo, é um programa que mostra propensões que podem ajudar investidores iniciantes a entender o mercado de ações. Em 2013, um grupo de três economistas publicou um documento mostrando que o site foi útil para prever movimentos diários nos preços da Dow Jones.

Aplicações de previsores de ações

Apesar de o uso dos algoritmos ainda não ser preciso em todo tipo de uso – de fato, existe um número de falhas com as previsões que deixam até os investidores mais experientes céticos –, isso não os torna inúteis.

Esse tipo de ferramenta é útil especialmente para aqueles que estão começando no mercado. Investimentos em pequenas ações, por exemplo, podem beneficiar muito as chamadas “penny stocks”, ações com cotação muito inferior. As penny stocks são famosas por serem voláteis e um previsor decente seria ideal para ajudar nesse tipo de investimento para que resulte em mais sucesso menos fracassos.

Além de ajudar investidores iniciantes, esses dados podem desempenhar um papel mais importante na previsão de outras mudanças e tendências futuras.

Com Smart Data Collective