De acordo com um estudo divulgado pela PwC, chamado How organizations can unlock value and insight from the information they hold, as empresas ainda têm muito que progredir no uso do big data.

No Brasil, segundo previsões do IDC, o mercado de big data e analytics vai movimentar R$ 3,2 bilhões. Um dos motivos que contribui para a busca pelo big data é a necessidade de enfrentar as dificuldades trazidas pela crise econômica.

Segundo a pesquisa a PwC, feita com 1.800 líderes de negócio da América do Norte e da Europa, parte dos fracassos com o big data se deve à falta de estratégias de negócio voltadas para dados. De acordo com o estudo, 75% das empresas não possuem as habilidades e a tecnologia necessárias para usar seus dados para ganhar vantagens competitivas. Além disso, 75% das empresas não contrataram um analista de dados e, das empresas que contrataram, apenas 25% estão usando esses funcionários da maneira apropriada.

A falta de entendimento dos dados vai além das empresas de tecnologia e se expande para a engenharia, a indústria farmacêutica, financeira, energia e saúde. A partir dos dados coletados, a PwC criou o Information Value Index, uma espécie de régua para medir o quão bem os negócios usam as informações que coletam e o quanto conseguem extrair de valor dos dados.

Com base em 36 perguntas, o PwC deu aos negócios uma nota de 0 a 100, sendo 100 o melhor uso possível dos dados. As empresas de médio porte entrevistadas obtiveram uma média de 48.8, enquanto as organizações de grande porte obtiveram uma média de 52,6. A média geral de todas as empresas foi 50.

De acordo com a pesquisa, isso acontece porque, muitas vezes, os dados são tidos como um recurso garantido e de responsabilidade da TI e cientistas de dados e não como algo valioso que deve ser usado por toda a empresa.

Ter uma estratégia de dados é o maior recurso na obtenção de vantagens competitivas. Ao ignorar ou tratar os dados como algo não importante, os líderes de negócio não conseguem colocar sua empresa à frente da concorrência. Uma empresa pode gastar milhões na coleta de dados, mas, se não conseguir usá-los, o investimento terá sido em vão.

O primeiro passo para estabelecer um plano para os dados é identificar as fontes de dados e então entender a importância do business analytics para cada departamento e, finalmente, criar um plano para gerar insights que garantam vantagens competitivas.

Com IT World