Os criminosos cibernéticos não estão mais apenas em busca de números de cartões de crédito, dados de propriedade intelectual e dinheiro. Agora, os seus dados pessoais, os chamados Personally Identifiable Information (PII), também estão na mira do crime.

Para fazer frente a todos os desafios, é preciso acrescentar mais uma camada aos seus sistemas de detecção de ameaças: a inteligência de analytics de segurança, que acelera o tempo de detecção e combate aos ataques a partir da análise de informações de suas redes.

As estatísticas sobre a incidência de violações de dados indicam o seu crescimento, e esses números não devem cair nos próximos anos.

Os criminosos agora parecem estar deixando os malwares tradicionais de lado – o que não significa que você deva baixar a sua guarda – e usam ferramentas legítimas, muitas vezes em conjunto com credenciais roubadas.

A inteligência criminosa está evoluindo e, por isso, devemos continuar a investir nas nossas capacidades de detecção e prevenção de ameaças, identificando atividades maliciosas dentro das nossas organizações.

Tire proveito do analytics e obtenha mais desempenho

E qual a vantagem de contar com mais essa camada de proteção, as ferramentas de analytics de segurança? Em entrevista à revista CIO, Leonardo Moreira, diretor de engenharia da PROOF, ressaltou que “não há dúvidas de que as ferramentas de Business Analytics podem realizar um ótimo trabalho em Segurança da Informação.

O BA possibilita uma análise descritiva e preditiva, além de auxílio para tomada de decisão em tempo real.

Conceitos como aprendizado de máquina, análise comportamental e big data aparecem como elementos importantes na gestão da segurança da informação, permitindo a obtenção de insights valiosos”.

A PROOF, em parceria com a Splunk, oferece ao mercado o serviço de Analytics as a Service, permitindo que as empresas façam uso de Big Data e análises preditivas para tratar de ameaças e riscos, incorporando aos sistemas de segurança legados a capacidade de analisar o comportamento do usuário, infraestrutura e dispositivos.

E a oferta como serviço também elimina algumas tarefas manuais de TI que acabam inibindo usuários internos de ter acesso a novas tecnologias e garantem, ao mesmo tempo, segurança, privacidade de informações e compliance dos dados.