[av_image src=’http://www.proof.com.br/wp-content/uploads/2016/10/O-QUE-E-BIG-DATA-FB-1210×423.jpg’ attachment=’6039′ attachment_size=’entry_without_sidebar’ align=’center’ styling=” hover=” link=” target=” caption=” font_size=” appearance=” overlay_opacity=’0.4′ overlay_color=’#000000′ overlay_text_color=’#ffffff’ animation=’no-animation’][/av_image]

[av_textblock size=” font_color=” color=”]

O que é Big Data?

O Big Data é, simplesmente, uma das grandes revoluções dos últimos anos e veio para ficar no mercado mundial.

Pode ser que os termos se modifiquem com o passar do tempo, mas o grande conceito que precisa ser compreendido é a possibilidade existente no mundo atual de se ter uma quantidade imensa de dados armazenados, com uma variedade infinitamente superior à do passado e podendo ser trabalhados, analisados, cruzados e interpretados com muito mais velocidade e eficácia.

A busca por informação sempre foi primordial em qualquer mercado e é extremamente importante coletar e organizar os dados disponíveis, seja nos processos que movimentam o negócio ou mesmo no meio externo a organização.

Afinal, dados é a nova base competitiva e está transformando todas as profissões se indústrias, como já dizia a CEO do IBM, Ginni Rometty.

Com a evolução dos computadores, como maior processamento e maior capacidade de armazenamento, e o avanço da internet, um salto na geração de informações ultrapassa limites, talvez inimagináveis alguns anos atrás, e abre a possibilidade de se ter mais quantidade e mais diversidade de dados.

E tudo isso com muito mais velocidade, através de máquinas mais modernas, softwares com mais inteligência e uma rede cada vez mais amigável.

Os 3 V’s

Pensando em facilitar um pouco o conceito, podemos dividir o Big Data em três ideias simples: volume, variedade e velocidade.3vs

  • Volume = informações melhores

Mais espaço significa um volume enorme de dados sendo armazenado o tempo todo. Como coletar dados é extremamente importante para as análises, quanto mais dados, maiores serão as possibilidades.

E enquanto no passado (não muito distante) bancos de dados limitados pelo hardware armazenavam poucos megabytes, atualmente a palavra do momento são os zettabytes, com uma capacidade infinitamente maior.

Assim pode-se ter quase tudo que se imaginar, guardado em algum lugar para ser utilizado em diversos campos do conhecimento.

  • Variedade = diversas visões para análise

Imagine que, atualmente, podemos armazenar uma quantidade muito grande de dados, como falamos no tópico acima, e esses dados são de diversos tipos e diversas fontes diferentes.

Não ficamos mais só no cadastro de clientes, por exemplo, mas é possível ter posts relevantes nas redes sociais, ligados às suas páginas mais visitadas na internet e ainda ao seu consumo de e-commerce, por exemplo.

As possibilidades são inúmeras com a variedade de dados no Big Data, só é preciso ter um bom planejamento estratégico. As ferramentas estão a favor de todos e é preciso estruturá-las para a análise que você precisa.

  • Velocidade = informações em tempo real

Veja como o Big Data é incrível. Imagine prever incidentes de determinada epidemia em tempo real? Então, o Google já fez essa façanha com a famosa gripe H1N1.

Através do armazenamento das informações de busca via internet, a gigante norte-americana conseguiu, com grande velocidade, transformar esses dados, vindos de diversas fontes, em informações relevantes sobre a doença.

Enquanto médicos, que trabalhavam em um projeto responsável por obter essas mesmas informações, levavam algo em torno de duas semanas para ter dados consolidados, o Google conseguia dados semelhantes (até mais completos) em apenas algumas horas.

Uma velocidade invejável e que permitiu um mapeamento sem precedentes da epidemia!

Novas tendências

Após sua popularização inicial, o Big Data acabou ganhando mais dois Vs, referentes aos conceitos de Valor e Veracidade dos dados. Esse movimento em sua “estrutura” se deu devido ao amadurecimento do conceito dessa prática.

No caso do Valor, qual o objetivo de armazenar, mesmo que sendo totalmente possível, qualquer tipo de dados se os mesmos não geram valor?

O dado precisa ser útil, ser base para gerar informações de qualidade e com capacidade de serem fundamentais em tomadas de decisão.

Sendo assim, a busca por dados com maior valor é uma nova componente do Big Data.

Falando nisso, já olhou nosso eBook sobre como Big Data e Business Analytics podem mudar o rumo do seu négocio?

Outro ponto adotado após seu amadurecimento é a Veracidade desses dados.

Muitas organizações começaram a utilizar todo e qualquer tipo de dados para análise e previsões, sejam esses de bancos de pesquisas de institutos conceituados ou meros comentários difundidos e compartilhados por uma rede social.

Agora, imagine o tamanho do problema que uma quantidade significante de informações falsas, mas muito difundidas nas redes, poderiam causar em processos de análises com objetivos em saúde ou na economia de um país?

As consequências são inúmeras, por isso, adotar a Veracidade do dado coletado torna esse modelo de Big Data muito mais confiável e eficaz.

O Big Data ainda tem muito para evoluir e precisa cada vez mais de profissionais qualificados para ser executado. Afinal, trabalhar com dados é extremamente importante e, quando não tratado com integridade, pode ser até perigoso.

Mudando a maneira como pensamos

O Big Data se tornou o “chavão” corporativo do setor de TI nas estratégias de negócios e produtos. Para a maioria das organizações, o Big Data também inclui a Internet das Coisas – os dados integrados a partir de uma enorme gama de dispositivos conectados.

Atualmente, é estimado que existam 6 bilhões de dispositivos conectados no mundo e é previsto que esse número chegue a 20 bilhões até 2020, de acordo com a Symantec.

Essa tendência proporciona uma enorme oportunidade para que empresas explorem o mundo “verdadeiro” de seus clientes, fornecedores e concorrentes, muitas vezes em tempo real.

No entanto, ele também oferece um desafio significativo em equilibrar sua proposta de ser um canal útil e com credibilidade nas informações contra um potencial tsunami de dados que pode rapidamente tornar-se incontrolável e até mesmo prejudicial.

Abordagem para negócios

Com o tempo, o Big Data tem transformado os conceitos empregados sobre os negócios. Uma organização que trabalha de forma eficiente em uma cultura de Big Data torna-se uma marca dinâmica e inovadora que, efetivamente, é mais rentável ou fornece serviços mais eficazes.

O novo modelo requer sistemas de TI flexíveis e dinâmicos para suportar esse nível de agilidade – contudo, também requer agilidade no gerenciamento. Para qualquer negócio que almeje aproveitar ao máximo o big data, será necessário considerar uma mudança de mentalidade.

O Big Data veio para mudar fundamentalmente a forma como as pessoas são educadas, treinando-as inclusive para entender por que os erros acontecem.

Ainda tem dúvidas sobre o Big Data e como ele pode servir você ou à estratégia do seu negócio? Deixe um comentário e compartilhe conosco!
[/av_textblock]

[av_textblock size=” font_color=” color=”]

Gostou do nosso conteúdo? Quer conferir outros posts do nosso blog? 😉

[/av_textblock]

[av_blog blog_type=’taxonomy’ link=’post_tag,52′ blog_style=’blog-grid’ columns=’3′ contents=’title’ content_length=’content’ preview_mode=’custom’ image_size=’entry_with_sidebar’ items=’3′ offset=’0′ paginate=’no’ conditional=”]

[av_social_share title=” style=” buttons=”]

[av_hr class=’default’ height=’50’ shadow=’no-shadow’ position=’center’ custom_border=’av-border-thin’ custom_width=’50px’ custom_border_color=” custom_margin_top=’30px’ custom_margin_bottom=’30px’ icon_select=’yes’ custom_icon_color=” icon=’ue808′]

[av_comments_list]