CAPEX e OPEX: como otimizar os investimentos da área de TI?

Os gerentes de Tecnologia da Informação constantemente se deparam com equipamentos que não mais atendem as funções a serem exercidas ou então até mesmo obsoletos, que por consequência acabam comprometendo a operação e impactando negativamente na qualidade do serviço dos profissionais da área de TI. Não precisa nem ser gerente, você como profissional da área, com certeza já se deparou com essa situação. Através da leitura desse blogpost, você vai descobrir como otimizar os investimentos em equipamentos da área de TI sem comprometer a qualidade do serviço entendendo sobre dois modelos de investimento presentes nas organizações, o CAPEX e o OPEX.

O que seria CAPEX e OPEX?

Capex e Opex são investimentos em forma de aquisição ou contratação de um produto ou serviço. No modelo CAPEX, sigla que em inglês significa capital expenditure, os investimentos são feitos na forma de aquisição de bens para a empresa.  Dentre eles, estão os gastos para aquisição de:

  • Imóveis
  • Equipamentos
  • Mobiliários
  • Software
  • Hardware

Já o modelo OPEX, que em inglês significa operational expenditure, diz respeito aos investimentos em alocação de serviços, como:

  • Contrato de aluguel
  • Manutenção de equipamentos
  • Gasto de consumíveis
  • Contratação de cloud
  • SaaS

Após ter o conhecimento sobre a definição dos investimentos CAPEX e OPEX, prepare-se para descobrir como aumentar a produtividade dos seus colaboradores e não estar mais refém da obsolescência programada através de uma nova tendência. Reinaldo Sakis, gerente de Pesquisa e Consultoria de Consumer Devices da IDC, nos revela essa tendência:

“Houve um avanço da terceira plataforma. E este entendimento nos leva a crer que existe espaço para a migração do modelo de Capex para Opex, que também auxilia e direciona o mercado para um mundo como serviço”.

A migração do modelo CAPEX para o OPEX ocorre por quê?

Para explicar essa questão, utilizaremos como exemplo do modelo Capex a seguinte situação que foi citada no início do blog post:

Imagine que você, como profissional da área de TI tenha que solucionar o problema dos equipamentos obsoletos. Para isso, terá que substituí-los investindo em outros equipamentos que estejam atualizados tecnologicamente. Ao possuir um novo equipamento, a área de TI entrará num ciclo vicioso.

Investimento Capex

Cerca de 5 anos depois da aquisição, reiniciará o ciclo na tentativa de substituir o equipamento obsoleto, o que não é aconselhável se pensarmos a longo prazo. Porque além de desembolsar capital para realizar um investimento CAPEX nessa aquisição, gastará tempo dos colaboradores com o treinamento para a utilização devida dos novos equipamentos.

A empresa  pode até não trocar sempre os equipamentos, mas, com o tempo, os produtos tecnológicos acabarão entrando no processo de obsolescência programada, prejudicando ainda mais a produtividade dos colaboradores e obrigando a investir capital na troca de equipamentos para não comprometer a qualidade do serviço.

Consequências de utilizar um equipamento obsoleto na área de TI:

Ao utilizar um equipamento obsoleto, uma organização pode sofrer as seguintes consequências:

  • Atrasos nas entregas da equipe devido a falhas na tecnologia
  • Diminuição da produtividade
  • Gastos extras com técnicos para manutenção
  • Queda na qualidade do serviço prestado
  • A não realização de um patch, podendo deixar o computador vulnerável a ataques, prejudicando o usuário e a organização em termos de segurança da informação

Portanto, no modelo CAPEX, além da obsolescência programada e as consequências disso para a organização, temos que ficar atentos a questão financeira, porque o investimento é alto em termos de capital e a empresa precisa se descapitalizar para adquirir o equipamento, o que pode não ser saudável, dependendo do tamanho da empresa e da disponibilidade de caixa.  Só empresas com muito capital disponível no caixa conseguem fazer esse investimento sem ter impactos que prejudiquem as operações do financeiro da empresa.

De acordo com a nova tendência descrita anteriormente pelo Reinaldo Sakis, o avanço da terceira plataforma direciona o mercado de TI para a migração do CAPEX para o OPEX. Desta forma, no modelo OPEX, o investimento em bens ou serviços são feitos em parcelas e a empresa não tem que se descapitalizar para contratá-los.

Sendo assim, a migração do modelo CAPEX para o OPEX ocorre porque ao mudar a forma como a organização investe em  infraestrutura tecnológica, o gestor de TI pode usar o orçamento que gastaria com a aquisição do equipamento para outros fins dentro da empresa, otimizando os recursos da área de TI. Já que a locação é bem mais em conta para o caixa da empresa do que a aquisição.

É importante ressaltar que  as empresas devem ter um equilíbrio, sabendo gerenciar direcionando os dois modelos de  investimento de acordo com o que é essencial para a empresa e seu modelo de negócios em termos de aquisição e locação de bens.

Atualmente, de acordo com o Carlos Faria, CEO da Routerlink (empresa de soluções em TI):

O reparo/locação resulta em uma economia de recursos que chega a 75%”.

Para chegar a essa conclusão, a Routerlink migrou a forma de investir em seus equipamentos de infraestrutura da seguinte maneira:

Ao invés  de adquirir um equipamento novo, no ano de 2017, a Routerlink fez o reparo anual de cerca de 2 mil equipamentos, resultando numa economia de 95% em seus investimentos. Isso quer dizer que a empresa teve um ganho de MTBF (Mean Time Between Failures), que significa que o período médio entre falhas é maior do que 5 anos.

Dessa maneira, ao longo do blog post podemos perceber que o mercado de TI caminha cada vez menos para aquisição de produtos (CAPEX) e cada vez mais para a locação de serviços (OPEX).

Investimento Opex

Vantagens na locação de serviços na área de TI:

Otimizar recursos através do modelo OPEX traz para a área de TI vantagens financeiras e tecnológicas tendo a web como o elemento central dessa mudança de modelo de investimento. Além de dos benefícios como o aumento da agilidade dos colaboradores em exercerem suas funções, a segurança de estar atualizado e é claro, a otimização dos recursos, a locação de serviços via web concentra as seguintes megatendências tecnológicas:

  • Redundância de servidor
  • Contratação de cloud
  • Mobilidade
  • Outsourcing
  • Não ter mais a necessidade de contratar mão de obra especializada (in house) em uma tecnologia específica, o que mobilizaria outros departamentos, impostos e gestão de pessoas.
  • Ter atualizações constantes sem desembolsar capital, gerando uma maior facilidade de adaptação
  • Custo marginal zero

Quer saber mais sobre as tendências da web que acompanham a migração do modelo CAPEX para o OPEX? Fiquem ligados nos próximos posts do nosso blog.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.