BI e analytics se tornam prioridade nos investimentos em TI do setor bancário

Cada vez mais bancos enxergam o investimento em tecnologias de business intelligence e analytics como uma prioridade para seu negócio. Essa foi a descoberta de um estudo realizado pela consultoria Ovum, que ranqueou o BI e analytics como a maior urgência de investimentos em TI no setor bancário, com 29% dos bancos apontando o tema como uma prioridade – mais até do que o investimento em segurança, com 28%.

A preferência por esse caminho se deve, segundo a Ovum, pela necessidade em conquistar benefícios de serviços bem desenvolvidos no online e mobile.

“Apesar da segurança ainda tomar espaço no orçamento corporativo dos bancos, o papel do business intelligence e analytics emergiu como uma área crítica para o ano de 2015”, afirmou a consultoria.

As últimas pesquisas da Ovum revelaram que os bancos vão aumentar 43% os gastos em TI este ano em comparação com 2014 – devendo saltar de $131 bilhões em 2015 para $157 bilhões em 2019.

No Brasil, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), divulgou pesquisa que aponta o aumento nos investimentos de bancos e instituições financeiras em produtos e serviços voltados para tecnologia. O índice que o estudo revelou sinaliza um aumento de 11% em relação a 2014, atingindo um percentual de 18% do total de gastos com TI.

A firma Ovum indicou que os gastos deverão ser sentidos em muitos aspectos das instituições bancárias, mas o online e o mobile deverão ser áreas prioritárias nos investimentos.

O setor de TI deve se envolver nesse cenário, não apenas para providenciar o serviço, mas também para inovar suas aplicações e processos. Executivos devem olhar o TI como um papel fundamental para responder rapidamente às mudanças que ocorrem no cenário tecnológico. Nesse sentido, a modernização de serviços não deve implicar apenas em trabalhos com planejamento em curto prazo, realizados na pressa para cumprir prazos ou para mirar objetivos rentáveis rapidamente.

As expectativas dos clientes continuarão a evoluir sempre, exigindo melhorias constantes e desenvolvimento sólidos das infraestruturas necessárias no futuro.

Com Computer Weekly